04
Ter, Ago

Diversidade de produtos é de encher os olhos. O melhor: tudo muito acessível e perfeito pra presentear neste Natal

Colares lindos que mais parecem obras de arte. Pimentas de todas as partes do mundo que nem sabíamos que existiam, na forma de molhos e conservas. Bolsas em patchwork que são um luxo só, mas feitas à mão com todo o carinho. Lacinhos para enfeitar os cabelos de nossas crianças feitos por quem cuidou delas a maior parte da vida. Doces, panetones, bordados, produtos criativos exclusivos e artesanais e, o melhor, tudo no precinho. Foi assim o Bazar de Natal que aconteceu na última reunião de RELTs do ano, no dia 4 de dezembro, no Teatro Gazeta.

Veja vídeo do Bazar

Bazar SINESP 2019 Site 1

O SINESP incentiva a Economia Solidária e abre esse espaço para que a categoria traga seus produtos artesanais para exposição e venda, neste período em que muitos já estão pensando em presentes de Natal. Mais do que um espaço comercial, é uma forma de criar condições para o compartilhamento de saberes e inspirações, fomentando pontes e construindo parcerias. E era tanta coisa linda de se ver que poucos resistiram à chance de comprar presentes originais vindos diretamente de quem faz.

 

Artesanato pedagógico

A Paula Evelise, por exemplo, foi professora de Educação Infantil e do Fundamental I. Ao concluir a faculdade de Artes Visuais, teve contato com a questão da manualidade, do fazer artístico, e começou a juntar isso com o artesanato. Acabou criando um kit para montagem de bonecas de pano.

Seu companheiro Flavio Sá a acompanhou no Bazar. Para ele “a criança desenvolve um relacionamento com a boneca que ela mesma construiu, isso fortalece a autoestima: produzir algo com as próprias mãos”. E assinala que a chance de expor o trabalho é muito importante: “Muitas Diretoras de Escola passaram por aqui e se interessaram pelo projeto para levar para a escola. Mais do que simplesmente vender o produto, ajuda a divulgar esse trabalho de maneira muito consistente para o nosso público-alvo”, aponta.

“Isso não para aqui. Depois os clientes ligam em casa, fazem encomendas", conta Luisa Andreotti, há quatro anos expondo bolsas em patchwork na reunião de RELTs. Ela destaca a importância de o SINESP fazer ações como essa. “Como sou aposentada, aproveito para me relacionar. As pessoas vêm, dão sugestões”, pontua.

 

Atividade é muito mais do que apenas uma fonte de renda; criações também trazem ganhos pra quem compra

Simone Gomes, outra expositora, faz crochê desde criança e agora faz bijous que misturam a técnica com miçangas e vidros de Murano, em autênticas obras de arte.

“Paulo Freire já dizia que você só vai conseguir formar o sujeito da história se você for sujeito também. E, realmente, se você não vê importância na arte, não vai trabalhar esse lado e eu sempre fiz questão de trabalhar isso em sala de aula e agora nas minhas criações”, destaca.

 

Matemática com pimenta

Já Rafael Stern ressalta a importância do apoio ao pequeno produtor e ele mesmo virou uma espécie de embaixador da pimenta. Ele já participa de feiras de rua em São Paulo e quer difundir o uso e levar mais informações ao público sobre esse assunto. ”As pimentas ainda são pouco consumidas no Brasil, principalmente nas grandes cidades, não faz tanto parte da nossa cultura”.

Ele já chegou a dar palestras em escolas contando tanto a parte de história das pimentas, passando pela ciência que explica a picância do ingrediente, até botânica e matemática - ao falar sobre as fórmulas dos produtos de sua linha, que são muito coloridos e atrativos para as crianças, que ficam fascinadas. “Isso acaba mostrando para os alunos toda a conexão entre as matérias e a realidade”, conclui.

Iniciativa importante

Cleusa Cardoso faz lacinhos para enfeitar os cabelos, um mais lindo que o outro. Ela conta que o produto nasceu pela necessidade de aposentada sem dinheiro. E comemora o espaço que o SINESP oferece nos eventos. “A gente não tem muita oportunidade de ficar nos lugares para expor nossos trabalhos. Se ficar na rua, tem que sair correndo”, brinca.

Já Myrian Meconi se vira bem com as novas tecnologias como aliada. Ela tem até lojinha na internet e acha que o caminho como artesã veio de forma bastante natural. “Vó costureira, mãe costureira, sempre fiz essas coisas, mesmo quando eu trabalhava na rede!”.

Damiana Dalla Costa está próxima da aposentadoria por idade mas, com muita energia de sobra, não para um minuto. Ela vende produtos feitos sob o conceito de costura criativa. Toalhas, aventais, guarda-pós, porta-trecos, tem de tudo! “Quem me conhece, sabe! Eu não paro. Trabalho, faço artesanato e ainda cuido de quatro cachorros e três netos”, informa, orgulhosa.

ok1

ok2

ok3

ok9

ok4

ok5

ok7

ok10

ok11