Aconteceu no SINESP
Tools
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Também manifestou preocupação com a necessária recomposição dos quadros de profissionais de educação e a alimentação escolar.

Na terça, 14 de julho de 2020, o SINESP participou da reunião virtual do Comitê de Crise da Educação junto da Comissão de Educação, Cultura e Esporte da Câmara Municipal e outros Sindicatos e entidades.

O Secretário Bruno Caetano alegou impossibilidade de estar na reunião em virtude das lives que estão sendo realizadas nas Diretorias Regionais de Educação

O Presidente do SINESP Luiz Carlos Ghilardi manifestou a necessidade de envolver outros setores na discussão, cobrando diálogo e consideração da realidade da Rede Municipal de Educação e uma posição da Comissão de Educação quanto ao retorno das aulas.

A preocupação com a falta de profissionais de educação foi apresentada pelo Dirigente Sindical Christian Sznick. Ele demonstrou que, até a retomada das aulas, não chegarão os Auxiliares Técnicos de Educação, Coordenadores Pedagógicos, Diretores de Escola, Supervisores Escolares e Professores de Educação Infantil que a RME necessita.

O motivo está nas diferentes fases em que estão os concursos, alguns dependendo de homologação e outros dependendo de autorização. E a recomposição também depende de outras secretarias, além da SME. 

Márcia Simões, Vice-presidente do Conselho de Alimentação Escolar e Dirigente Sindical do SINESP, expressou a necessidade de garantir a alimentação escolar com um programa eficaz que atenda as famílias em vulnerabilidade, de rever o cartão alimentação, pois muitas famílias não foram contempladas, e de trazer um representante da Alimentação Escolar para o debate com o Secretário.

A Coordenadora do Conselho de Representantes dos Conselhos de Escola, Kézia Alves, manifestou preocupação quanto á fala do Secretário Municipal de Educação na Live em Capela do Socorro. Ele disse que na retomada das aulas as crianças, bebês e estudantes que não retornarem poderão perder as vagas.

Como encaminhamentos, foi aceita a proposta do SINESP de ampliar a presença de especialistas no comitê de crise.

Nas próximas semanas serão chamados profissionais da UNIFESP e da Alimentação Escolar para debater a minuta apresentada pela Secretaria Municipal de Educação. Também será cobrado esclarecimento do Secretário de educação quanto à perda da vaga escolar do aluno quando os pais optarem por não voltar às aulas presenciais no ano de 2020, aventada por ele, e discussão da Comissão de Educação quanto ao retorno das aulas presenciais.

O SINESP defendeu não volta às aulas presenciais.

Audiência Pública

A reunião de 15 de julho de 2020 da Comissão de Educação, Cultura e Esportes aprovou a realização de Audiência Pública com representantes da Secretaria Municipal da Educação, professores, alunos e familiares, para esclarecer dúvidas sobre a minuta, divulgada pela Prefeitura, com protocolos a serem seguidos numa retomada gradual das atividades escolares na capital.

Em outra Audiência Pública, desta vez conjunta com a Comissão de Finanças e Orçamento, será discutida a execução orçamentária da Educação durante este período de pandemia da Covid-19.

Para o debate, serão convidados o Secretário da Municipal da Fazenda, Philippe Duchateau, o Secretário Municipal da Educação, Bruno Caetano, além de representantes do Ministério Público de São Paulo e do Conselho de Alimentação Escolar do Município.

A aprovação da PEC do FUNDEB, luta do SINESP, recebeu moção de apoio pela Câmara dos Deputados como fundo permanente.

 

SINESP: Junte-se a quem luta com você!

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar